AGEM lança plano de desenvolvimento da Baixada Santista

Agem lança plano de desenvolvimento para a Baixada Santista

Equipe do projeto Litoral Sustentável acompanhou o lançamento em Santos

http://litoralsustentavel.org.br/noticias-regiao/agem-lanca-plano-de-desenvolvimento-para-a-regiao-da-baixada-santista/

03/09/2013

Santos – Na última segunda-feira (02/08/2013), a Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem) lançou o Plano Metropolitano de Desenvolvimento Estratégico da Baixada Santista (PMDE-BS) e o Plano de Ação da Macrometrópole. O evento aconteceu no Teatro Guarany, em Santos. Integrantes da equipe do Projeto Litoral Sustentável – Desenvolvimento com Inclusão Social acompanharam o evento.

Rovena Maria Carvalho Negreiros, diretora de Planejamento da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) apresentou o Plano de Ação da Macrometrópole (PAM) 2013-2040. O plano é dividido em três eixos: Conectividade do território e competitividade econômica; Coesão territorial e urbanização inclusiva; e Governança metropolitana.

De acordo com Rovena, o plano pode ser incorporado nos Planos Plurianuais (PPAs), além disso, diferentes níveis de governo precisam pactuar a realização dos projetos. Os projetos serão viabilizados com investimentos do governo federal, governo estadual e privado. “A questão da governança é a mais difícil”, avalia a diretora da Emplasa. O PAM terá um sistema de acompanhamento com indicadores para verificar a sua implementação.

PMDE-BS

O Plano Metropolitano de Desenvolvimento Estratégico da Baixada Santista terá quatro eixos: Mobilidade e acesso; Habitação; Saneamento; e Desenvolvimento Econômico. Segundo José Roberto dos Santos, diretor da Geo Brasilis Inteligência Territorial – responsável pela elaboração do PMDE-BS, o plano prevê a descentralização dos investimentos econômicos na região para o desenvolvimento de novas vocações nos municípios.

A partir da identificação de lacunas de atendimento para as demandas crescentes, o PMDE-BS traz uma agenda de necessidades de investimento, denominada Cartilha de Investimentos, com o objetivo de orientar ações e projetos dos municípios e do Governo do Estado de São Paulo na região, de acordo com Fernanda Faria Meneghello, diretora Técnica Adjunta da Agem. As ações visam o desenvolvimento equilibrado da Baixada Santista e consideram as especificidades e singularidades ambientais.

Investimentos na região

No evento também apresentados diferentes investimentos e projetos que o governo estadual tem feito para região.

Luciano Ferreira da Luz, Gerente de Planejamento de Transportes da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), falou sobre a construção de uma linha ferroviária que ligaria a região da Baixada Santista à São Paulo, com 58 km de extensão. A linha se conectaria com o metrô e faria o percurso de São Paulo à Santos em 35 minutos. A implementação da infraestrutura demorará de 6 a 9 anos, de acordo com Luciano.

Outro projeto apresentado foi o Túnel Santos – Guarujá, cujo estudo ambiental já foi protocolado na Cetesb, de acordo com Estanislau Marcka, assessor da Presidência da DERSA – Desenvolvimento Rodoviário. O túnel será submerso e ligará o bairro do Macuco, em Santos, ao bairro de Vicente de Carvalho, no Guarujá. As obras tem previsão de início em julho de 2014 e término em 2017. Para sua realização, será necessário remover famílias que vivem em Vicente de Carvalho.

A Sabesp e a Secretaria Estadual de Habitação também apresentaram projetos em andamento na região. O evento foi finalizado com uma fala da ONU-Habitat – Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos,  sobre governança metropolitana.